Procurar
Close this search box.

Como Deus habita entre nós?

“E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória” (João 1:14).

Para uma compreensão mais completa de Deus habitando com as pessoas, temos que explicar a relação de Jesus com o Jardim do Éden, o tabernáculo e o templo. Portanto, devemos primeiro nos voltar para o livro de Gênesis.

Quando Deus criou os céus e a terra, Ele preparou um lugar especial para habitar com a humanidade, Sua criação mais querida. Este lugar é conhecido como o Jardim do Éden (Gênesis 2:8). A presença de Deus, na plenitude de Seus atributos, habitava ali de maneira especial. A glória de Deus estava nesse jardim. Além disso, o jardim manifestava a perfeita comunhão entre Deus e o homem. Portanto, quando Adão e Eva pecaram, foram expulsos do Jardim do Éden, separados da própria presença de Deus, da glória de Deus. Mas Deus falou com eles e lhes prometeu que, por meio de um descendente da mulher, a comunhão da humanidade com Ele seria restaurada e mais uma vez desfrutaria de Sua presença, de Sua glória (Gênesis 3:15).

Enquanto Gênesis 3:15 ainda não se cumpria, Deus demonstrou Seu desejo de Se aproximar de Seu povo e manter a comunhão por meio do tabernáculo (Êxodo 33:7-10) e depois do templo em Jerusalém (2 Samuel 7:1-13; 1 Reis 5:1-5; 6:1). Estes foram os lugares onde Deus habitou de modo especial e onde manifestou a Sua glória, a Sua presença.

Como Deus habita com Seu povo no Novo Testamento

O Antigo Testamento termina com o drama em que a presença de Deus deixou o templo por causa do crescente pecado de Seu povo (Ezequiel 10:4; 10:18; 11:22-23), mas com a esperança de que Ele voltaria em todo o Seu esplendor. Então, o Novo Testamento começa com “o Verbo se fez carne”. Observe que Jesus afirmou que os líderes de Israel fizeram do templo “uma casa de comércio” e “um covil de salteadores” (João 2:16; Mateus 21:13). A presença de Deus não estava mais habitando no templo, então onde habitaria? Onde Deus habitaria com Seu povo?

Em Cristo! Quando chegasse o tempo do cumprimento, Deus habitaria entre Seu povo por meio da Palavra encarnada, Jesus Cristo. Ele é o Emanuel, o “Deus conosco” (Mateus 1:23) e o supremo “templo de Deus” (João 2:18-21). É por isso que João afirmou: “o Verbo… habitou entre nós, e vimos a sua glória” (João 1:14).

Em Cristo, a glória de Deus foi plenamente manifestada, pois Nele habita toda a plenitude da divindade (Colossenses 2:9). O apóstolo João e aqueles que creram em Jesus viram a Sua glória, a glória do unigénito Filho do Pai (João 1:14). Assim, em Cristo, Deus passou a viver com o Seu povo, fez o Seu “tabernáculo”[1] entre eles, restaurando assim a comunhão com Deus que o homem havia perdido no Jardim do Éden por causa do pecado.

Como Deus habita em nós

Esta é uma boa notícia, mas não para por aí. O plano redentor de Deus continua. A obra de Cristo na cruz (Sua morte, ressurreição e ascensão) transforma Seu povo, os filhos de Deus e Sua igreja, no templo de Deus. Nas palavras de Paulo, mostrando a importância da igreja: “Não sabeis vós que sois templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Coríntios 3:16).

É na igreja que Deus habita de maneira especial e Sua glória se manifesta. Como? Porque como crentes e seguidores de Cristo, fomos regenerados, somos considerados filhos de Deus e mantemos comunhão com Ele! Tudo isso só está disponível por meio de Cristo. Somos as primícias da nova criação e temos a firme esperança de que todo este mundo será transformado e redimido em um novo céu e uma nova terra, onde tudo será morada especial de Deus e não haverá mais pecado. Todo o novo mundo será melhor e superior ao Jardim do Éden. Isso acontecerá quando Cristo vier pela segunda vez. Que grande esperança aguardamos!

Concluindo, como parte da igreja de Deus, somos chamados a adorá-Lo em espírito e em verdade (João 4:23-24). Ou seja, uma adoração genuína “em espírito”, que surge do coração regenerado. E uma adoração à maneira de Deus que surge da verdade de Sua própria Palavra.

Que alegria saber que em Cristo nossa comunhão com Deus foi restaurada!

[1] O verbo grego traduzido “fazia sua morada” / “habitava” em João 1:14 significa literalmente “habitar como em uma tenda” / “ter um tabernáculo”.

Compartilhar postagem