Devemos acender velas enquanto oramos?

A resposta curta a esta pergunta é ‘não’. No entanto, isso não significa necessariamente que não devemos, não podemos ou nunca deveríamos fazê-lo.

História da igreja

Nos tempos antigos, a igreja costumava manter a tradição de acender velas para marcar o início do culto. No Antigo Testamento, quando Deus instruiu Moisés a erguer o tabernáculo no deserto, o candelabro de sete braços era um utensílio importante. É claro que gás e eletricidade não eram usados ​​para a iluminação naquela época, e sem aquele candelabro estaria escuro como breu no tabernáculo.

Hoje em dia

Hoje as velas ainda são usadas na Igreja Católica Romana e as pessoas são frequentemente encorajadas a acender uma vela quando intercedem por alguém. Igrejas tradicionalistas, como a Igreja Anglicana, ainda acendem uma vela no início do culto. Mas isso nem sempre é o caso nas igrejas protestantes, exceto talvez durante a celebração do Advento. Então, um significado espiritual também pode ser dado a isso, embora não seja necessário.

Concentre-se em Deus

No mundo apressado de hoje, vemos o renascimento das práticas de espiritualidade celtas. Esta é uma forma de adoração mais meditativa, menos apressada, que encoraja o acender de velas também na oração pessoal, adoração e meditação silenciosa na Palavra de Deus. Isso não é feito para que Deus se aproxime de nós mais rapidamente, mas para nos ajudar a retirarmo-nos para um lugar tranquilo que separamos especialmente para esse propósito em nosso lar e que nos ajuda a nos concentrar mais em Deus. Se acendermos uma vela, indicamos que queremos nos aproximar de Deus e nos preparar em nossos corações para escutá-Lo e tomar consciência de Sua presença. Para alguns, esta é uma boa ferramenta, outros são apenas distraídos por ela.

Por si só, acender uma vela não é importante, mas se você achar útil para se aproximar de Deus, então, faça-o.

Compartilhar postagem