Há esperança quando seus filhos não acreditam em Deus?

Tenho uma mensagem de esperança para todas as pessoas com dor no coração porque seus filhos não têm fé. É um texto de Jeremias: “E há esperanças, no derradeiro fim, para os teus descendentes, diz o Senhor , porque teus filhos voltarão para o seu país.” (Jeremias 31:17).

A esperança é que seus filhos voltem para a sua pátria!

Quero explicar porque acredito que o Senhor Deus deseja encorajá-lo com este texto sobre seus filhos que O abandonaram. Para fazer isso, precisamos examinar mais de perto o que de fato este capítulo trata.

Jeremias profetiza na época em que o reino das dez tribos de Israel estava no exílio há quase 150 anos. Nessa situação, Jeremias dará uma mensagem de esperança. Ele mesmo deve ter ficado chocado. Por décadas ele vinha alertando o povo. Por décadas ele sofreu com a descrença do povo. “Ah, se a minha cabeça fosse uma fonte de água e os meus olhos um manancial de lágrimas! Eu choraria noite e dia”. Isso é mais Jeremias. Mas agora Deus lhe pede para trazer uma mensagem de esperança.

Essa mensagem é sobretudo destinada ao reino das dez tribos, também chamado de Israel ou Efraim. Jeremias 31: 3-22 é totalmente sobre a conversão profetizada do reino das dez tribos. O versículo 5 diz: Ainda plantarás vinhas nos montes de Samaria”. Samaria era a capital do reino das dez tribos. Versículo 9: porque sou um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito”.

Ninguém mais esperava por isso. Por tanto tempo Israel desafiou o Senhor Deus. Por tanto tempo, Israel disse que não precisava de Deus. Por tanto tempo viveu em pecado. Finalmente foi deportado para o exílio fora do país. Esse foi um julgamento de Deus. Mas 150 anos depois o Senhor Deus diz: “Não te esqueci. Israel, EU sou teu Pai. Efraim, és meu primogênito”. Isso é estranho, porque Efraim não era o primogênito, mas sim Ruben. E Judá teve a bênção do primogênito. Mas aqui o Senhor Deus diz a Efraim: Justamente porque Me desobedeceu tanto, Meu coração está contigo. Eu te amo muito. Eu penso em ti o tempo todo. E depois de 150 anos vem a promessa: vou te levar para casa (Jeremias 31:8).

Mais tarde, em Jeremias 31:15, é dito de Raquel, a avó de Efraim, como se ela ainda estivesse viva: Raquel, como  choras por seus filhos. Raquel, está triste com o pecado de seus filhos. Está muito triste porque eles abandonaram Deus e agora estão sendo levados para longe da terra de Deus. O Senhor Deus diz: Calma, Raquel, vai ficar tudo bem. Por mais que tenham pecado, por mais que demore, por mais que toda a esperança pareça ter acabado: tudo ficará bem. “Há esperança para o seu futuro”, declara o Senhor. Teus filhos voltarão para a sua pátria.”

Não é exatamente essa a sua situação? Embora sua voz não possa ser ouvida fora de seu quarto, não é sua voz uma lamentação e um choro muito amargo? Você não chora por seus filhos e se recusa a ser consolado porque eles não estão mais na casa de Deus? E não é essa a esperança que quer ouvir de Deus?

Mas você pode se apropriar dessas palavras? Pode ser consolado por isso? Isso se aplica a você? Há uma promessa aqui, especificamente para Israel. Mesmo assim digo: sim, isso também é para seu consolo. Eu vejo duas razões para isso. A primeira razão é esta: como O conhecemos aqui, assim Deus é! O amor de Deus é desde a eternidade (Jeremias 31:3) e dura para sempre. O comportamento de Israel não influencia isso. Os pais entendem isso. Quanto mais seu filho ou filha vai na direção errada, mais consciente você fica de seu amor por eles. Deus diz aos filhos que se afastaram Dele: “Vocês pensam que estão separados de mim, mas eu ainda não vos soltei. E eu voltarei a atrair-vos para mim” (cf. Jeremias 31: 3b). Esse Deus é o nosso Deus. Lembre-O de Seu amor eterno por seus filhos e peça-Lhe que os atraia com amor e bondade.

A segunda razão pela qual você deve se consolar com essas palavras é porque Jeremias 31 não é apenas sobre Israel. É uma descrição da nova aliança. Sabemos disso por que é dito em Hebreus 8 (cf. Jeremias 31:33 e Hebreus 8:10). E no Novo Testamento, todas as bênçãos da nova aliança são para todos os que creem no Senhor Jesus. “Há esperança para a tua descendência, declara o Senhor; teus filhos voltarão para a sua pátria”.

Que os crentes das nações podem confiar nas promessas de Deus dentro da nova aliança, é absolutamente claro. Se os filhos dos crentes também pertencem a essa aliança pode ser (e tem sido muito) discutido. Seja qual for a maneira como encara isso, um pensamento sobre isso acho importante. A nova aliança é muito mais gloriosa do que a antiga. Eu posso imaginar alguém explicando a antiga aliança a um israelita, tentando informar que na antiga aliança as promessas eram para seus filhos, mas na nova não. Ele ficaria bastante confuso. “A nova aliança melhor? Como?” Não sei exatamente como é que é com a teologia da aliança. Mas isso sei: nossos filhos não são estranhos para Deus. Ele os ama. E por isso digo isso a você como uma promessa da nova aliança: “Há esperança para a sua posteridade, diz o Senhor, seus filhos voltarão para a sua pátria”.

Tenha esperança! Há esperança para nossos filhos. Eu te garanto: ‘vai ficar bem’. É por isso que a dor é real, e é por isso que as lágrimas continuam caindo. Porque também com Israel não é sobre o último israelita que retornará. Diz respeito ao ‘povo que escapou da espada’ (Jeremias 31:2) e “o remanescente de Israel” (Jeremias 31:7). Portanto, nem todos. Mas, ainda assim, “uma grande multidão” (Jeremias 31:8). Portanto, continue orando por seus filhos e falando com eles. Há esperança! 

Compartilhar postagem