O que Deus nos ensina em Sofonias?

Sofonias é um dos chamados “Profetas Menores”. Ele pode ter sido filho do famoso rei Ezequias e profetizava durante a época do rei de Judá, o rei Josias (Sofonias 1: 1). Josias serviu ao Senhor, o Deus de Israel, e fez todos os tipos de reformas para trazer o povo de volta ao seu Deus. No entanto, Josias não pôde desfazer os pecados de seus predecessores. Apesar de seus esforços ainda havia muitas pessoas que adoravam os ídolos. Nessa época, Sofonias proclama a Palavra do Senhor.

Sofonias vai direto ao assunto: “Destruirei todas as coisas na face da terra”; palavra do Senhor” (Sofonias 1:2). O julgamento está vindo sobre a terra. Este julgamento é dirigido especificamente contra Judá e Jerusalém. Os habitantes não buscaram nem consultaram o Deus verdadeiro (Sofonias 1:6).

O dia do Senhor (Sofonias 1:7-2:3)

A maior parte da profecia de Sofonias é dedicada a uma descrição do dia do Senhor. Com muitas imagens e comparações ele esboça que o grande dia do Senhor está próximo; “O grande dia do Senhor está próximo; está próximo e logo vem” (Sofonias 1:14). Este dia é um dia de terror e julgamento, mas por outro lado também um dia de esperança. O julgamento virá para todos os ímpios, mas salvação tem para aqueles que confiam no nome do Senhor (Sofonias 3:12). O dia do Senhor chegou quando Jerusalém caiu (587 AC). No Novo Testamento, entretanto, o dia do Senhor também é visto como o futuro dia do julgamento, quando Jesus voltará dos céus e julgará toda a terra. Agora ainda há escapatória: “Buscai ao Senhor, vós todos os mansos da terra, que tendes posto por obra o seu juízo; buscai a justiça, buscai a mansidão; pode ser que sejais escondidos no dia da ira do Senhor.” (Sofonias 2:3).

Profecias das nações (Sofonias 2: 4-3,8)

Sofonias tem também, como a maioria dos outros livros dos profetas, uma seção com profecias sobre as nações. Sofonias dirige-se às cidades dos filisteus de Gaza, Asquelom, Asdode e Ecrom. Ele se dirige a Moabe e Amon, vizinhos de Israel no leste. O julgamento vem sobre os cusitas e sobre a Assíria. Sofonias profetiza que a mundialmente famosa cidade de Nínive, temida por todos no antigo oriente, se tornará uma ruína: “Que ruínas sobraram! Uma toca de animais selvagens! Todos os que passam por ela zombam e sacodem os punhos” (Sofonias 2:15). Sofonias não se limita aos gentios. Ao mesmo tempo, ele prediz a desgraça de Jerusalém, uma cidade de injustiça terrível. O pecado não pode ficar impune!

Salvação após o julgamento (Sofonias 3:9-20)

Depois de todas essas palavras sombrias, a luz irrompe no livro de Sofonias. O julgamento de Deus não impede a salvação. O próprio Deus intervirá: “Porque então darei uma linguagem pura aos povos, para que todos invoquem o nome do Senhor, para que o sirvam com um mesmo consenso.” (Sofonias 3:9). O Senhor removerá os orgulhosos e fará com que Ele seja servido pelo remanescente de Israel, que não falará mais mentiras. O povo saltará e alegrará, pois o Senhor seu Deus está no meio deles. Seu cativeiro será revertido e eles serão motivo de louvor entre todas as nações da terra.

Mensagem para nós

  • Deus leva o pecado muito a sério. A injustiça receberá a punição adequada.
  • O mundo inteiro terá que lidar com o dia do Senhor.
  • O próprio Deus providencia a salvação através do julgamento.

 

Compartilhar postagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email