O que são os dez mandamentos ?

ten_commandments diez mandamientos

Ao se falar sobre o Antigo Testamento ou a respeito da vontade de Deus para os seres humanos, geralmente o termo “Os dez mandamentos” aparece. Mas qual é o significado desses dez mandamentos e sobre o que eles falam?

Contexto histórico

A história de Israel como uma nação começou quando Deus os resgatou da terra do Egito, os libertou da condição de escravidão. Deus tinha prometido guiá-los para a terra de Canaã, a qual tinha sido prometida aos seus ancestrais como uma propriedade eterna (Gênesis 17:8).

Mas antes deles entrarem nessa terra, Deus estabeleceu um pacto com os Israelitas. Os dez mandamentos são os termos desse pacto. Eles contém os princípios básicos que serão mais tarde explicados e trabalhados nos livros bíblicos de Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio. Essas regras básicas foram escritas em duas placas de pedra, e cuidadosamente guardadas no local mais sagrado do tabernáculo (futuramente no templo – Êxodo 34:4 e 28, Deuteronômio 10:5,1 e Reis 8:9).

A estrutura dos Dez Mandamentos

Está bem explícito no nome, o número de mandamentos são dez. Eles são precedidos de uma introdução: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. (Êxodo 20:2). Nessa introdução, Deus Se apresenta como um Deus pessoal, O Senhor de Israel. Isso é explicado em uma referência ao Seu maior ato de salvação para com Israel até então: O êxodo do Egito. Essa introdução fornece um plano de fundo para as leis de Deus.

O primeiro e segundo mandamentos são a respeito da singularidade e incomparabilidade de Deus. O terceiro é sobre tratar o nome de Deus com respeito, e o quarto sobre guardar o sábado- um tempo de descanso e celebração para refletir sobre Deus e Sua obra. Os outros seis são mais interpessoais, envolvendo as atitudes das pessoas nos seus relacionamentos umas com as outras.

O texto dos Dez Mandamentos

1 Não terás outros deuses diante de Mim.

2 Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, nem nas águas debaixo da terra para adorar.

3 Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente o que tomar o Seu nome em vão.

4 Seis dias trabalharás, e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro, que está dentro das tuas portas.

Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o Senhor o dia do sábado, e o santificou.

5 Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.

6 Não matarás.

7 Não adulterarás.

8 Não furtarás.

9 Não dirás falso testemunho contra o teu próximo.

10 Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

Êxodo 20:3-17, números adicionados para esclarecimento.

 

O significado e o propósito dos Dez Mandamentos

Através da história de Israel, esses dez mandamentos devem formar a fundação legal, moral e espiritual da vida da nação. Eles eram a constituição de Israel. Mas ainda mais do que isso, aqueles mandamentos eram os termos do pacto de Israel com Deus. Falhar em obedecer esses mandamentos não era apenas um problema da sociedade, mas também um problema pessoal e de relacionamento com Deus. Está claro que ninguém nunca conseguiu obedecer completamente aos mandamentos todos durante a vida. “Na verdade que não há homem justo sobre a terra, que faça o bem, e nunca peque.’’ (Eclesiastes 7:20).

É impossível merecer o favor de Deus e obter sua própria salvação obedecendo aos dez mandamentos. Mas os dez mandamentos de fato ajudam as pessoas a terem uma ideia do problema que é o seu coração pecaminoso (Romanos 3:20).  Isso deveria levá-los ao arrependimento, deveria motivá-los a pedir perdão a Deus (Salmos 32:5). O apóstolo Paulo conclui: “De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados.” (Gálatas 3:24). Até mesmo antes de Jesus Cristo vir à terra, os Israelitas foram salvos não por obediência aos mandamentos de Deus, mas pela fé no Messias, Jesus.

Jesus cumpriu a lei

As leis do Antigo Testamento foram cumpridas em Jesus (Mateus 5:17-19). Elas apontavam diretamente para Ele, e foram perfeitamente obedecidas por Ele.

Assim sendo, os cristãos não vivem mais sob o jugo da lei, mas na liberdade de Cristo (Gálatas 5:1). Paulo explica depois: “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas sirvam uns aos outros pelo amor. Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta:  Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” (Gálatas 5:13,14).

Como somos livres do poder do pecado, o Espírito Santo agora nos capacita a vivermos verdadeiramente uma vida que agrade a Deus cada vez mais e mais.

Os dez mandamentos funcionam como um espelho

Os crentes nos dias de hoje não precisam mais obedecer as leis do Antigo Testamento. Mas elas funcionam como um espelho e ainda nos ajudam a enxergar o quão terrível o pecado realmente é. Paulo diz: “Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não conheci o pecado senão pela lei; porque eu não conheceria a concupiscência, se a lei não dissesse: Não cobiçarás.” (Romanos 7:7). Naturalmente, nós tendemos a subestimar a nossa própria natureza pecaminosa e sua seriedade. Os Dez Mandamentos podem nos ajudar a superar esse problema.

Os Dez Mandamentos funcionam como um guia

Além disso, esses mandamentos revelam a vontade eterna e sabedoria de Deus. Essa mesma vontade e sabedoria é expressada no Novo Testamento através dos ensinamentos de Jesus em várias cartas. Até por que, esses “escritos” são do mesmo Deus!

Apesar de os Dez Mandamentos não serem copiados literalmente no Novo Testamento, encontramos muitos mandamentos similares; “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.” (Gálatas 5:19-24.)

Guardar os mandamentos de Deus trará bênçãos, tanto pessoalmente como socialmente. Se todos seguissem os Dez Mandamentos, isso resultaria em um mundo perfeitamente pacífico e harmonioso. Deus nos mostra o jeito correto de viver como cristãos, até o dia em que finalmente atingiremos a perfeição quando fomos eternamente unidos a Ele.

 

Como esse estudo bíblico falou ao seu coração? Por favor compartilhe suas opiniões abaixo!

 

Compartilhar postagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email