O que significa que Deus é santo?

santo

Muitos textos da Bíblia falam sobre Deus como sendo santo. Vamos ler alguns:

“Santo, santo, santo, é o Senhor Deus Todo-Poderoso, que era, é e há de vir!” (Apocalipse 4: 8).

“Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.” (Apocalipse 15: 4).

“Ó Senhor, quem é como tu entre os deuses? Quem é como tu glorificado em santidade, admirável em louvores, realizando maravilhas?” (Êxodo 15:11).

“Não há ninguém santo como o Senhor: porque não há outro além de Ti; não existe rocha como o nosso Deus ” (1 Samuel 2: 2).

Deus é separado

Esses textos deixam claro que a santidade de Deus O distingue de todas as outras pessoas. Só Deus é santo. O significado principal da palavra “santo” é “separado”. Deus está transcendentalmente separado de Sua criação, Ele é uma categoria à parte. Isso deve nos encher de reverência e admiração – conforme expresso pelos textos bíblicos citados acima.

Quando Isaías teve uma visão de Deus, ele até exclamou: “Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de lábios impuros; pois meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos! ” (Isaías 6: 5).

Deus é perfeito

Outro aspecto importante da santidade de Deus é que Ele não tem pecado, está separado do mal. Ele é absolutamente e puramente bom. Portanto, Sua natureza e Seu caráter são diferentes dos nossos. Ele é o padrão moral para o que é “bom”, o que é “amor” e o que é “justo”, para citar alguns. Metaforicamente, João expressa isso da seguinte maneira: “Deus é luz, e nele não há treva nenhuma” (1 João 1: 5).

Pessoas pecadoras não podem chegar perto de um Deus santo

Deus está totalmente separado do pecado e do mal e, portanto, também está separado dos seres humanos pecadores. A santidade de Deus torna impossível para nós, humanos pecadores, nos aproximarmos Dele. Isso foi expresso, por exemplo, nas leis de Deus sobre a construção de um tabernáculo pelos israelitas. Deus queria habitar entre eles, mas visto que Ele é santo, os israelitas não podiam simplesmente entrar em Sua presença. Havia necessidade de separação e expiação, elaboradas prescrições relativas aos deveres religiosos dos sacerdotes e aos vários tipos de sacrifícios.

A morada terrena de Deus no tabernáculo era chamada de “santo dos santos”. O espaço anterior era chamado de “lugar santo”, e só podia ser acessado por sacerdotes consagrados. Tudo que pertence a Deus é santo, separado da vida pecaminosa comum.

A santidade de Deus exige que as pessoas também sejam santas

No Antigo Testamento, lemos como Deus separou o povo de Israel das outras nações e exigiu que eles também fossem santos. “Eu sou o Senhor vosso Deus. Portanto, consagrem-se e sejam santos, porque eu sou santo ”(Levítico 11:44). “Sereis para mim santos, porque eu, o Senhor, sou santo e vos separei dos povos, para que vos torneis meus” (Levítico 20:26). O mesmo vale para os cristãos de hoje: “Assim como aquele que vos chamou é santo, sede vós também santos em toda a vossa conduta” (1 Pedro 1:15).

Como podemos nos tornar santos?

Vimos como a santidade de Deus contrasta com nossa pecaminosidade e, portanto, cria separação entre o Senhor e nós. Não podemos resolver esse problema sozinhos. Somente através da morte expiatória de Jesus nossos pecados podem ser “lavados” para que nos tornemos limpos novamente e possamos estar diante de Deus.

Por meio da fé, podemos “revestir-nos do novo eu, criado conforme a semelhança de Deus em verdadeira justiça e santidade” (Efésios 4:24). O Espírito Santo, que habita no coração dos crentes, muda nossas vidas. Ele nos transforma para que “o sirvamos sem temor, em santidade e justiça” (Lucas 1: 74-75).

 

Como esse ensino da Bíblia fala com você? Por favor, compartilhe seus pensamentos abaixo!

Compartilhar postagem

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email