Procurar
Close this search box.

Porque é tão importante saber que Jesus Ressuscitou?

Quando Jesus estava dando Seu último suspiro, Ele exclamou: “Está consumado!” (João 19:30). Seu papel no plano de salvação eterna de Deus foi cumprido. Ele pagou pelo pecado da humanidade e, assim, abriu um caminho para os pecadores se reconciliarem com Deus. No entanto, a Bíblia deixa claro que não poderíamos ter lucrado com a obra de salvação de Jesus se Ele tivesse permanecido morto. Como o apóstolo Paulo diz em 1 Coríntios 15:17: “E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados.” Porquê?

A ressurreição de Jesus é evidência de Sua natureza divina

Jesus é tanto Deus como homem. Como humano, Ele poderia morrer. De fato, há ampla evidência de que Ele realmente morreu, não foi um mero desmaio. Veja, por exemplo, Marcos 15:42-45 e João 19:33-35. Mas Deus é eterno e não pode morrer. Então, se Jesus tivesse permanecido morto, isso seria prova de que Ele não era divino. Sua ressurreição corporal confirmou Sua afirmação de que Ele é Deus. Jesus Cristo, nosso Senhor, “declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dos mortos (Romanos 1:4).

A ressurreição de Jesus é evidência de Sua fiabilidade

Em várias ocasiões, Jesus havia dito a Seus discípulos o que aconteceria com Ele, por exemplo, em Mateus 20:18-19: “Eis que vamos para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes e aos escribas, e condená-lo-ão à morte. E o entregarão aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem, e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará. Se essas profecias não se cumprissem, as palavras de Jesus não seriam confiáveis. Mas agora são! O cumprimento dessas profecias é uma poderosa confirmação da omnisciência, fiabilidade e poder eterno de Jesus.

A ressurreição de Jesus é evidência da aprovação do Pai

O sofrimento e a morte de Jesus faziam parte do plano de Deus para a salvação. Era a vontade do Pai que Ele morresse. Então, quando Jesus ressuscitou da sepultura, este foi um sinal claro de que Deus Pai estava plenamente satisfeito com Sua obra de salvação. Ele foi altamente exaltado por ter cumprido Seu ministério.

A ressurreição de Jesus é evidência de Seu triunfo sobre Satanás

Desde que o pecado entrou no mundo, tem havido uma batalha entre o bem e o mal, entre Deus e Satanás. A morte de Jesus foi o ponto culminante desta batalha. Parecia que Satanás finalmente O havia derrotado! Mas a ressurreição de Jesus provou o contrário. Seu ministério não terminou em derrota, mas em glória. Satanás recebeu o golpe mortal. Anjos e poderes espirituais foram submetidos a Jesus (1 Pedro 3:22). Ele triunfou sobre eles e os envergonhou (Colossenses 2:15). Jesus é vencedor!

Jesus está intercedendo por nós

40 dias após Sua ressurreição, Jesus ascendeu ao céu. Lá Ele está sentado à direita de Deus e pede por nós. Veja Romanos 8:34: “Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu ou, antes, quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós”. Claro, Ele não poderia ter feito isso se tivesse permanecido morto.

A ressurreição de Jesus dá esperança para o nosso futuro

A ressurreição de Jesus prova Seu poder para vencer a morte e é a base para a futura ressurreição de todos os que crêem Nele. Portanto, não precisamos mais temer a morte se recebemos a vida eterna em Jesus. Mesmo que nossos corpos possam morrer e perecer, sabemos que eles serão ressuscitados imortais e imperecíveis no final dos tempos (1 Coríntios 15:53-55). Quando Jesus voltar para criar novos céus e uma nova terra, viveremos com Ele para sempre. Sua ressurreição é o primeiro sinal claramente visível desta gloriosa verdade!

Tanto a morte de Jesus quanto Sua ressurreição são importantes

A morte expiatória de Jesus foi suficiente para pagar pelo pecado humano. Mas Sua ressurreição também foi uma parte essencial do plano de salvação de Deus. Louvado seja Deus, “que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor, que foi entregue por nossas ofensas e ressuscitou para nossa justificação”. (Romanos 4:25)

 

 

Compartilhar postagem